Corpo, temporalidade e constituição subjetiva

Fernanda Ferreira Montes

Resumo


O artigo versa sobre a função do corpo e da temporalidade na constituição subjetiva, articulados à noção de continuidade da existência. Recorrendo a Winnicott e Ferenczi, apresentamos formas defensivas de subjetivação para fazer frente ao trauma. A partir disso, consideramos a implicação do corpo e da temporalidade na construção da imagem de si quando a relação estabelecida com o outro não permite que essa imagem tenha consistência.

Palavras-chave


corpo; tempo; trauma; falso self; subjetivação

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAM, J. A linguagem de Winnicott: dicionário das palavras e expressões utilizadas por D. W. Winnicott. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

ABRAHAM, N.; TOROK, M. A casca e o núcleo. São Paulo: Escuta, 1995.

FERENCZI, S. (1909). Transferência e introjeção. In: ____. Psicanálise I. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1992, p.77-108.

______. (1912). O conceito de introjeção. In: ____. Psicanálise I. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1992, p.181-183.

______. (1931). Análises de crianças com adultos. In: ____. Psicanálise IV. São Paulo: Martins Fontes, 1992, p.69-83.

______. (1920-1932). Notas e Fragmentos. In: ____, Psicanálise IV. São Paulo: Martins Fontes, 1992, p.235-283.

______. (1933). Confusão de língua entre os adultos e a criança. In: ____. Psicanálise IV. São Paulo: Martins Fontes, 1992, p.97-106.

______. Diário Clínico. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

FREUD, S. (1914). Sobre o narcisismo: uma introdução. In: ____. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996, p. 77-108. v.XIV.

PINHEIRO, M. T. Algumas considerações sobre o narcisismo, as instâncias ideais e a melancolia. Cadernos de Psicanálise, Rio de Janeiro, SPCRJ, v.12, n.15, p.20-28, 1995a.

______. (1995b) Do grito à palavra. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; UFRJ, 1995b.

PINHEIRO, M.T.; JORDÃO, A.; MARTINS, K. P. A certeza de si e o ato de perdoar. Cadernos de Psicanálise, Rio de Janeiro, v.14, n.17, p.160-175, 1998.

WINNICOTT, D. (1945). Desenvolvimento emocional primitivo. In: ____. Da Pediatria à Psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000, p.218-232.

______. (1951). Objetos transicionais e fenômenos transicionais, In: ____. Da Pediatria à Psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000.

______. (1949). A mente e sua relação com o psicossoma. In: ____. Da Pediatria à Psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000, p.332-346.

______. (1960). Distorção do ego em termos de falso e verdadeiro self. In: ____. O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Porto Alegre: Artes médicas, 1982, p 128-139.

______. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro, Imago, 1975.

______. Natureza Humana. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

______. (1963). O medo do colapso. In: WINNICOTT, C.; SHEPHERD, R.; DAVIS, M. (Orgs.). Explorações Psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994, p.70-76.

______. (1964). Transtorno psicossomático: a enfermidade psicossomática em seus aspectos positivos e negativos, In: WINNICOTT, C.; SHEPHERD, R.; DAVIS, M. (Orgs.). Explorações Psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994, p.82-90.

______. (1970). Sobre as Bases para o Self no Corpo. In: WINNICOTT, C.; SHEPHERD, R.; DAVIS, M. (Orgs.). Explorações Psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994, p.203-218.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Cadernos de Psicanálise - SPCRJ

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.